A Comunicação (ou falta dela) é uma conhecida vilã da vida conjugal. Podendo se revelar potencialmente prejudicial em várias nuances de uma relação, a falta de comunicação tem efeitos devastadores quando o assunto é Finanças.

Pesquisa da American Express revela que 45% dos casais discutem por causa de finanças e 91% das pessoas evitam falar ou trazer a tona este assunto com seu cônjuge, além do drástico parecer que a mesma temática arruína 3 em cada 10 relações.

Nota-se que casais de brasileiros residentes no exterior apresentam uma certa tendência a se deparar com este tipo de problema, visto que muitas vezes a partida do Brasil foi propiciada exatamente por possibilidades de trabalho e acúmulo em um país estrangeiro.

Muitos casais não esperam e, por isso não se preparam, para a nova possibilidade de relação com o dinheiro, pois como expatriados, podem ainda estar em fase de adaptação ao novo país de residência, ou mesmo inseguros sobre como proceder a partir de então, ou mesmo após muitos anos no exterior podem simplesmente ser acometidos por uma incerteza de estarem ou não fazendo a coisa certa.

Em qualquer hipótese, é preciso conversar, abordar o assunto sem chegar “com uma pedra na mão”.E aí é que vem a boa notícia: apesar de ser um problema grave, ele é contornável e apresenta solução. Uma relação saudável necessita de diálogos abertos e preenchidos com respeito, atenção e confiança. Quem nunca experimentou aquela sensação de não se fazer entender bem, discutir sobre algum argumento mal interpretado.

Para evitar estes percalços, comece com perguntasmais genéricas e que possam levar à diálogos mais leves.
Como começar? Uma ótima dica para esta primeira aproximação ao tema pode ser:

“Qual é o seu sonho para a plano de aposentadoria?”

Uma pergunta assim leva o interlocutor a mostrar-se como visualiza seu futuro, o que tem em mente para realizar sonhos, abrindo o espaço necessário para ambos mergulharem em um planejamento conjunto e apontamento de metas. Através desta pergunta que acaba percebida como gentil e delicada, o casal consegue estabelecer uma base de diálogo que vai se manter com a manutenção necessária. Ao falar sobre sonhos, podemos iniciar imediatamente uma busca por planos de ação que levem aos objetivos planejados, propiciando integração, sentimento de trabalho conjunto, confiança e visualização de um futuro sólido e feliz.
A partir deste primeiro contato com os planos de futuro, ambos poderão discutir sobre planejamento, gastos, economias. A pauta renderá muitas outras conversas agradáveis e nada estressantes.

O planejamento financeiro para casais é uma regra fundamental que já deve estar valendo desde o namoro! Quantos casais já sobem ao altar endividados? Este cenário não leva nenhum casal ao paraíso. Mas a cumplicidade e a confiança estabelecida entre um casal que dialoga abertamente sobre finanças e planos de futuro é um dos segredos do sucesso no casamento.

O que anteriormente poderia ser um rompedor da paz, pode efetivamente transformar-se num agregador, uma porta para uma nova fase do casamento, com mais inteligência emocional, financeira e, inevitavelmente, alegria pelos sonhos realizados.